quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Capitulo 1 - Parte 10

Olá a todos! Está pronta a parte 10 e última do capitulo 1.
Decidi colocar o capitulo 1 até ao momento em que a Demi vê o Joe. Peço desculpa por todas essas partes. Obrigada pelos comentários.

Anteriormente:

- Por favor, não abuse - sussurrou no ouvido dele quando saíram abraçados para o meio da sala.
- Estou farto! Na verdade, o que eu queria mesmo era me jogar de cabeça no rio mais próximo.
- Pobrezinho! - Demetria reprimiu uma risada.
- Se você tivesse se apaixonado pelo menos uma vez na vida não seria tão pouco compreensiva.
...


- É um inferno não é? - Demetria não conseguia levar aquele amor a sério. A cara dele não ajudava.
- Não ria! - ele zangou.
- Sinto muito.
Tom estava tentando acompanhar os movimentos graciosos da parceira mas seu corpo não obedecia. Olhou-a mais amuado ainda. Demetria era esbelta, com cabelos semilongos e naturalmente encaracolados, num rosto de traços finos e bem proporcionados. O nariz era pequeno e os grandes olhos castanhos muito expressivos. Parecia frágil e despertava nos homens o instinto de proteção até eles descobrirem o que se escondia atrás daquela aparência enganadora. E sempre acabavam ofendidos por ela não ser aquela criaturinha meiga e maleável que imaginavam.
sua voz tinha um belo timbre mas podia, às vezes, tornar-se tão zombeteira a ponto  de fazer com que alguns homens se sentissem diminuídos. Nunca tinham certeza se estava rindo deles ou não, mas sempre temiam que estivesse e não gostavam disso. Demetria havia crescido num lar onde as emoções eram mal vistas. A mãe sempre foi severa e ausente e o pai indiferente. De forma que ela aprendeu a reprimir suas emoções e a julgar a dos outros à distância. Via as pessoas de maneira fria e racional e os homens ressentiam-se dessa atitude. Seu tipo ajudava a formar a imagem de mulher fria. Para ela, apaixonar-se, como observadora nos outros era algo ridículo e doloroso e sempre evitava se envolver. Olhando para Tom, ponderou a que extremos podia levar uma paixão. O amor era um sentimento irracional e despudorado.
- Ela é tão linda - o rapaz comentou, rouco - E agora está com ele, com aquele nojento!
Demetria deu um jeito de ficar de frente. Camilla também estava dançando com o rosto iluminado de felicidade. Seu par, inclinado sobre ela, olhava-a dentro dos olhos. Ao vê-lo, Demetria teve uma estranha sensação. Depois de tudo que tinha ouvido falar dele, Joe Harris era uma surpresa. Seu perfil moreno e bonito não denunciava aquela espécie de fraqueza indulgente que ela esperava ver. Não havia nada em sua aparência que desse uma pista da melhor maneira para lidar com ele. De repente, Joe deu uma risada de alguma coisa que Camilla disse e jogou a cabeça para trás tornando visíveis seus olhos pretos. Demetria lembrou de um gato, mas não um gato doméstico - um felino selvagem, um animal perigoso, movimentando-se com aquela graça indolente que antecede o bote fatal. Camilla o olhava como hipnotizada e ele também a fitava com a placidez do tigre satisfeito.


Está acabado.

Beijos.

4 comentários:

  1. Mesmo com essas partes todas foi bem pensada essa ideia de fazeres o capitulo um todo até os dois se encontrarem pela primeira vez.
    Adorei o Capitulo!
    Posta logo!

    Bjs :)

    ResponderEliminar
  2. Wooooow *-* Esplêndido!
    Se superou nesse, escreveu mais perfeitamente que o normal, hehê'
    Muito muito show ^^

    E flor, eu quero avisar que estou de castigo por duas semanas, estou escrevendo o comentário escondida e que caso não comente no seu blog esse tempo, nao estranhe, fui tomada o notebook e o modem! Mas não pare a fic, porque logo eu volto e com sede ao pote ;{D

    Beeeijos, e até breve!

    ResponderEliminar
  3. ahhhh!posta logo!está perfect o capítulo,estou muito ansiosa!
    beeeeeeijos!

    ResponderEliminar