segunda-feira, 12 de junho de 2017

Capítulo 1 - Parte 3

Olá a todos!
Tal como falei no post anterior, aqui está a continuação.

Hoje é o meu aniversário! Faço 23 anos!

Obrigada pelo comentário, Thaysa. Ainda bem que está gostando.

Anteriormente:
"Camilla achou que a conversa estava se tornando pessoal. Não queria falar sobre amor. Além disso, dificilmente aquele duque iria saber o que era amor, pensava ela."


- Não quero falar sobre isso, senhor duque. - Respondeu ela.
- Tudo bem. Pretende então ficar aqui em Londres trabalhando como garçonete? Tendo um trabalho que não é o que deveria ter? Afinal de contas, é uma futura psicóloga.
- Eu tenho de viver! - Se defendeu ela - A minha tia não deve pagar sozinha a casa.
Ele apagou o cigarro e voltou a olhar para ela.
- Eu precisei de falar com a senhorita porque a Rebbeca está com problemas.
Camilla ficou preocupada. Ela desejava o melhor para Becky, sempre. A Becky foi uma grande amiga dela no orfanato e sentiu-se triste por saber que ela iria embora há quatro anos atrás.
- O que aconteceu?
- Ela anda num colégio privado mas anda sempre sendo vitima de bullying pelos colegas. Há anos que não tem um amigo, alguém com quem falar e contar os seus problemas.
Foi muito bonito da parte do duque querer ajudar a "sobrinha". Mas algo não estava certo: Como é que uma duquesa de Inglaterra iria adotar uma adolescente americana?
- A Vanessa não foi feliz em nossa casa. Ela fugiu da nossa mansão há sete anos. Ela tinha engravidado de um garoto de classe média e tinha medo que a família soubesse. - Ele respirou fundo e continuou - Claro que depois teve um aborto sem ninguém saber e tratou de adotar. Acabou adotando a Rebbeca e há três anos regressou para nos mostrar ela. Acabou revelando que tinha engravidado de um miserável que não quis se responsabilizar pela criança.
Camilla imaginou o medo e a insegurança que a irmã dele não devia ter sentido quando viu que estava grávida.
- Tentou procurá-la?
- Claro que sim. Eu tenho coração! - Disse ele, olhando para Camilla com um ar severo - Se soubesse quem era esse idiota, eu teria obrigado ele a aceitar a criança.
- Ela seguramente não queria que ele fizesse isso por obrigação.
- Provavelmente.
- E o que aconteceu com o moço? Quando a sua irmã voltou ele deve ter voltado para lhe perguntar do que era feito da criança.
- Não - O duque abanou a cabeça - Ele acabou por morrer um tempo depois de ela regressar. Um acidente. Nessa altura ela acabou confessando que tinha sido aquele miserável que a tinha engravidado.
Camilla arqueou a sobrancelha sem que o duque desse por isso. Como assim ele morreu? Como assim num acidente? Alguma coisa estava por contar, mas ela não quis insistir.
- Vim procurá-la para ajudar a Rebbeca. Ela precisa de uma amiga com quem falar. Talvez sendo filha adotiva de uma duquesa não seja algo muito bom de se saber. Talvez ela devesse ter ficado no orfanato.
- Nada disso! - Camilla exclamou - A Becky ficou melhor sendo adotada por vocês. Ela é uma menina muito tímida e reservada. É um doce de menina!
- Então a senhorita aceita?
- Aceito o quê? - Camilla não estava entendendo o que o duque queria dizer.
- A minha irmã quer convidá-la a passar uns tempos na mansão, no castelo.
- É muita gentileza mas eu não posso...
- Não adianta recusar. Uma futura psicóloga não deve trabalhar como garçonete. Além disso, se ajudar a Rebbeca eu me responsabilizo por te ajudar a se tornar numa psicóloga aqui em Londres.
- Senhor duque, eu agradeço mas eu preciso do dinheiro que ganho. É gentileza sua me convidar para ir para o seu castelo, mas não posso aceitar, mesmo sabendo que gostaria de ir.
- Não vejo por que não vai. Se está preocupada com dinheiro, posso lhe dar um cheque....
- Não, não! - Camilla ficou envergonhada - Sou uma pessoa independente e não aceito o seu dinheiro.
- O bem estar da minha sobrinha vale esse dinheiro, senhorita Gray.
- Não, não por favor.
- Hum... tudo bem.
Por momentos, Camilla sentiu-se pouco à vontade perto do duque. Olhou para o relógio.
- Eu tenho que voltar para o café. O meu patrão vai ficar chateado.
- E se eu te oferecer um outro trabalho lá no castelo?
Camilla não respondeu. Os dois viajaram de novo para o local onde se encontrava o London Café. Trabalhar no castelo dos duques? Seria história de filme. Que tipo de emprego é que ele lhe daria no castelo? Para psicóloga não seria com toda a certeza! Ou haveria psicólogos para duques?! Que destino estranho ela tem.
- Que emprego? - Perguntou ela uns minutos depois. Por momentos também se tinha lembrado de Austin. Ele tinha razão.
- Exatamente o que tem no London Café mas pagarei mais porque se tornará empregada do castelo. Além disso, também é companheira da Rebbeca, o que irá aumentar o lucro.
- Vocês têm quantos empregados no castelo?
- Hum... - Ele pareceu pensar - Mais de dez. Mas ter o título de duque nos dias de hoje não significa nada, ou muito pouco. Já ouviu falar de Samuel Windsor? O campeão de ténis?

Pronto.

Espero que tenham gostado.

Ficarei esperando por comentários.
Me dêem um comentário de presente, por favor!

Até um próximo post.

Beijos.

Sem comentários:

Enviar um comentário